segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Rabugento: Em um novo lar..

Sabe quando algo é tão a nossa cara que sempre todos farão a ligação direta conosco? Pronto! Esse é o caso de alguns dos fuscas que conhecemos pelas ruas de Recife e do Brasil. 

Especificamente, o Rabugento é muito a cara de Anderson, muitos sempre ligarão a sua propriedade ao nosso Cangaceiro. Mas porque eu estou falando isso? Porque ele foi para um novo lar em uma nova cidade viver uma nova história.


Poucos carros tem umal igação tão estreita com o dono quanto o Rabugento teve com Anderson. Muitas histórias, muitos amigos, muitas alegrias e muitas certezas de que grandes momentos foram vividos ao seu lado.


Ele foi vendido, mas deixa um legado. O novo proprietário, Vinicius, já está cuidando e melhorando ainda mais o fusca. Na cidade de Caruaru, agreste pernambucano é onde ele está agora, fazendo mais um dono feliz e começando a construir novas histórias.

Vinícius, novo dono e seu pai. No momento em que o Rabugento estava se despedindo de Anderson.

Primeiros mimos: Par de bancos originais..
Primeiros cuidados: Polimento na pintura!
Uma breve mensagem de despedida

video

Mas uma coisa é certa: pra nós, sempre será o Rabugento de Anderson.



Quem quiser conhecer mais a fundo a história desse fusca, é só ir no blog Rabugento Cultura Custom!

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

2º Encontro beneficente dos Amigos da Cobrasília

Neste último domingo, uma ação generosa e de cunho social foi oferecida pelos nossos amigos Adalberto e Naylde e foi recebida com muita festa entre muitas crianças aqui em Recife.

Um encontro de carros antigos onde o foco não foi apenas os carros antigos, essa foi apenas a ferramenta para poder juntar os amigos em uma boa causa e trazer diversão a crianças que necessitam de apoio. Foi um encontro beneficente em que conseguimos arrecadar muitos brinquedos para fazer a alegria do dia das crianças do Movimento PróCriança.

Além dos carros antigos, a festa contou com a apresentação do coral de lá, Pula pula e brincadeiras das antigas animadas por uma palhacinha muito especial!

O evento também teve cobertura da Rede Globo veiculada no Bom dia Pernambuco:



As imagens são registros de alguns grupos e clubes locais:

Agradecimentos ao amigo José Ribeiro do Amigos do fusca de Igarassu que fez estas fotos:


A Cabrita de Alencar ficou lotada de brinquedos!

A turma dos Amigos do Fusca de Igarassu e Amigos da Cobrasília









Nosso outro grande amigo Marcondes Correia também fez alguns registros de lá:





Nós, Cangaceiros, também marcamos presença no evento:






O casal Adalberto e Naylde, organizadores do encontro beneficente







Como o próprio Adalberto falou na entrevista: "De que adianta ter o carro guardado na garagem, tem que botá pra rodar!"

Muito além dos carros, como mencionado anteriormente, é a atitude das pessoas que fizeram as doações e do casal organizador.

Há muitas outras instituições que necessitam de ajuda em nosso estado, na verdade no Brasil inteiro, mas se cada um fizer a sua parte, deixando de lado o orgulho e colocando à frente a caridade, também chamada de amor, teremos um mundo melhor.

Alimentar a vida é fundamental.

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

O seu fusca do seu jeito (parte 5): Ratlook


Poucos são os adeptos deste estilo tão característico e adverso no universo aircooled, mas não são raros, muito menos pouco saudosistas, pelo contrário, compreender o estilo ratlook em um proprietário de fusca é complexo, mas é muito fácil perceber em seu semblante a sua descarada felicidade quando está ao volante ou mesmo perto do seu carro.


Cultura

À primeira vista é algo bem contraditório perceber tanta satisfação com um carro enferrujado, com a aparência desgastada. ou "desleixada", mas o universo rat vai muito além da aparência do carro, é quase como uma cultura.

Não de relaxamento, mas de simplicidade, de anulação da ostentação, de focar na satisfação em curtir o carro e não de se apegar a pequenos detalhes que acabam por frustrar muitos donos de carros dignos de Placa preta. É ter o carro pra colecionar amigos e histórias. Como muito bem colocado por nossos amigos Templários do Asfalto, "carro parado não faz história".

Nenhum dono ou adepto do estilo vai chegar junto do seu carro pra ditar o que está certo ou errado em termos de originalidade, muito menos criticar a ferrugem que se instala em um canto do carro, ou um amassado na lataria. Pelo contrário, chegam junto pra perguntar que história tem por trás destas marcas, sobre o passado do carro ou do quanto ele curte o carro daquele jeito.

Ter um ratlook não é idolatar o carro, nem tratá-lo como troféu, nem tentar manter ele intocado por todos desejando uma redoma de vidro ou um envólucro à vácuo. É saber viver em harmonia com tudo e com todos, é ter o carro como ferramenta de diversão.


Respeito

E quando me perguntam sobre qual o conceito mais adequado sobre o que significa "ratlook"? A resposta é: Respeito. Respeito à idade do carro, às marcas do tempo, à todas as histórias que o carro carrega consigo, respeito à sua resistência por tantos anos de passeios, lutas, aventuras e outras tantas coisas. E é com base neste respeito que os cuidados devem ser considerados. Cuidados básicos para que ele continue a rodar por muitos anos a mais, com segurança e estilo trazendo sempre mais satisfação.

Muitos são os textos, matérias, artigos e etc que tentam contar um pouco desse universo peculiar e tão cheio de paixão e sentimento por parte dos donos e apreciadores, tentando enumerar as características do estilo, mas tudo se resume à deixar o que é visível como está e cuidar da segurança elétrica, mecânica e estrutural. O bom e velho "Menos é mais", em toda sua simplicidade e beleza.


Características

Em resumo e para melhor identificação, as principais características de um ratlook legítimo são:

. Pintura desgastada pelo tempo (pátina);
. Interior original desgastados pelo tempo (bancos, forrações, volante, etc)
. Estrutura perfeita (chassis, assoalhos, etc);
. Rodas de época ou originais;
. Instalações mecânicas e elétricas em perfeito funcionamento (freios, suspensão, motor, chicote elétrico sem gambiarras, etc);
. Suspensão rebaixada (e/ou com eixo dianteiro encurtado)
. Alguns acessórios de época com igual desgaste; e
. Sorriso na cara do dono (essencial)

Falhas de interpretação

Muita gente confunde um ratlook com um "hoodride", sem saber das origens desse grupo americano surgido nos anos 90. O hoodride surgia com uma contracultura, desvinculando-se da tendência da sociedade em ter tudo do bom e do melhor, focando o anticonsumismo, no modo de viver, de ser e de agir de maneira geral e eram adeptos do estilo ratlook, 

É certo que, dentro dessa filosofia de anticonsumo, os carros mais baratos possíveis que representava bem o movimento era o volkswagen, por ser barato e consumir pouco combustível em comparação aos V8 da época. Os VW a ar eram utilizados considerando o seu sentido de criação: um veículo para as massas, com baixo custo e para transporte, simplesmente. Independementemente do estado de conservação, o importante era chegar ao destino. Com o fim do grupo a imagem dos carros no estilo ratolook ficaram vinculados ao seu nome, gerando a interpretação equivocada.


Outra falha de interpretação é achar que um ratlook é um veículo em péssimo estado de conservação, sem ter uma condição mínima para rodar com segurança. Pensar que qualquer carcaça em um ferro velho pode ser colocado nas ruas e "montar" um ratão. Um ratlook, em essência, não se monta, leva-se décadas para chegar no estado.

Além do fato de ter veículos em péssimo estado de conservação é dispor acessórios de todos os tipos no carro com o intuito de torná-lo único. Alguns acessórios de época realmente fazem parte, mas outros penduricalhos que são colocados no carro sem o menor sentido histórico estão sempre aparecendo em exemplares pelo Brasil. Coisas como cabeças de boneca, vassouras, pranchas de surf (em cidades do interior), cadeiras, freezeres, escadas, extintores de incêndio e muitas outras coisas inusitadas.











Mas não é somente lá fora que podemos perceber verdadeiros ratlook nas ruas, no Brasil temos muitos exemplos, inclusive de grupos que mantém a cultura acesa, como exemplos, o Rustedlive de Curitiba, e o The Ratbugz de São Paulo. E pra quem quiser conhecer mais sobre o estilo ratlook, o Ratvolks é um fórum nacional com foco no assunto.

Em terras pernambucanas temos o nosso amigo Alencar proprietário do Queniano, um 68 com todas as suas características originais e marcas do tempo, buscado das bandas do Paraná e agora rejuvenescendo para logo ganhar as estradas do Brasil.
Antes

Durante

Depois

Esse é um assunto que está sempre em pauta, sempre com muitas interpretações diferentes. Aqui está sendo colocada a essência do estilo ratlook, a partir do ponto de vista dos Cangaceiros VW.